Blog

12 mitos sobre cirurgias plásticas

12 mitos sobre cirurgias plásticas

Por: - Cirurgião Plástico - CRM/SC 8130 RQE 2674
Publicado em 28/02/2018 - Atualizado 08/02/2019


Existem diversos mitos sobre cirurgias plásticas que fazem com que as pessoas tenham informações erradas sobre determinado procedimento. Por esse motivo, é sempre bom checar com um cirurgião plástico a veracidade do que se lê na internet, para que não haja dúvidas e, consequentemente, a disseminação de informações equivocadas.

Conheça 12 mitos sobre cirurgias plásticas

Cirurgia plástica não exige preparação

Mito. Algumas pessoas acreditam que não é necessário se preparar para uma cirurgia. Contudo, em qualquer intervenção cirúrgica ou não-cirúrgica, deve-se avaliar o paciente como um todo, conhecer seu histórico médico, solicitar a realização de exames, a suspensão de medicamentos e, às vezes, até recomendar um acompanhamento psicológico.

Lipoaspiração ajuda a perder peso

Mito. A lipoaspiração não é um procedimento que auxilia na perda de peso. A técnica é indicada para remover a gordura localizada que não desaparece com a mudança na alimentação, realização de atividade física e emagrecimento prévio. A cirurgia serve, também, para modelar o contorno corporal, interferindo pouquíssimo no peso do paciente.

A mamoplastia redutora é indicada para homens

Mito. A mamoplastia redutora é indicada, prioritariamente, para as mulheres. Existe um procedimento específico para os homens, no caso de eles quererem reduzir as mamas. Ele se chama ginecomastia e pode ser realizado de forma similar ou distinta ao das mulheres.

Cirurgia plástica não tem relação com transtornos mentais e autoestima

Mito. Na maioria das vezes, pessoas que buscam a cirurgia plástica possuem transtornos relacionados à aparência tão ou mais importantes que doenças orgânicas. E, apesar de a cirurgia ser um fator muito importante na melhora da autoestima, ela não deve ser uma medida isolada. O paciente deve prezar por uma vida saudável e cuidar de si, física e emocionalmente, para que os resultados do procedimento não sejam frustrados.

Uma cirurgia plástica nunca deve ser realizada sem motivos coerentes e reais. Por isso, é importante que o paciente se pergunte sobre suas queixas, até que ponto sua felicidade depende desse detalhe físico e se a imagem que tem de si mesmo condiz com a realidade.

O ser humano tende a depositar, em aspectos corporais, importância e responsabilidades irreais, devido aos padrões que nos são incutidos pela cultura e pela sociedade. Por isso, é preciso refletir muito e amadurecer no processo de autoaceitação. Caso, depois disso, a cirurgia ainda seja um fator importante para a melhora da autoestima, é possível considerar realizá-la.

Cirurgia plástica serve, exclusivamente, para melhorar a aparência

Mito. Existem muitos exemplos de procedimentos usados para reparar ou melhorar funções específicas e a saúde como um todo (não só a física, mas também a emocional), como a rinoplastia, a reconstrução mamária, a otoplastia, a correção de lábio leporino, entre outros.

O mesmo formato de prótese de silicone pode ser usada para qualquer pessoa

Mito. Existem vários modelos no mercado, com tamanhos e formatos diferentes. Cada paciente deve ser avaliada pessoalmente, com análise da estrutura corporal e medidas de tórax e das mamas, para saber qual o melhor modelo e tamanho de prótese para seu corpo.

Mulheres podem fazer cirurgia plástica logo após a gestação

Mito. As mulheres que acabaram de ter filhos não devem ser submetidas a nenhuma cirurgia plástica. O corpo está numa fase de transição, repleto de hormônios da gravidez. O ideal é esperar pela completa recuperação do pós-parto, e realizar qualquer procedimento cirúrgico após uma média de 6 meses depois do término da amamentação.

A prótese de silicone impede a amamentação

Mito. A prótese de silicone, em si, não altera a amamentação. Os implantes são colocados abaixo da glândula mamária, não alterando em nada a produção do leite e a amamentação.

O inverno é a melhor época para realizar uma cirurgia plástica

Mito. A cirurgia plástica pode ser realizada em qualquer época do ano, conforme o desejo de cada paciente.

A prótese de mama deve ser trocada a cada 10 anos

Mito. Atualmente, os implantes de silicone são feitos de gel de silicone coesivo, com várias camadas, e não necessitam de troca periódica. O que se recomenda é que sejam feitos exames de controle anuais, como mamografia e ultrassom de mamas para o acompanhamento dessas próteses. A troca torna-se necessária em casos de rupturas ou contraturas capsulares, ou desejo de nova cirurgia plástica.

Sedentarismo e medicamentos não interferem no resultado da cirurgia

Mito. A obesidade, o sedentarismo e as comorbidades (presença ou associação de duas ou mais doenças no mesmo paciente), uso de medicações ou substâncias que aumentariam o risco de eventos tromboembólicos, como anticoncepcional oral ou outros hormônios, e até mesmo o tabagismo podem interferir nos procedimentos.

Cirurgia plástica dura para sempre

Mito. Após uma cirurgia plástica, o corpo continua exposto à ação do tempo, das características genéticas, ao ambiente e aos hábitos. Por isso, é preciso se cuidar para prolongar o resultado de uma cirurgia plástica.

Material escrito por:
Cirurgião Plástico - CRM/SC 8130 RQE 2674

Formado em medicina pela UFSC e mestre em Cirurgia Plástica pela USP, o Dr. Evandro Parente dedica sua carreira para aliar o relacionamento de confiança com seus pacientes e a qualidade nos resultados. É membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, da qual foi presidente na regional Santa Catarina.

Falar pelo WhatsApp