Blog

Como prevenir do câncer de mama?

Como prevenir do câncer de mama?

Por: - Cirurgião Plástico - CRM/SC 8130 RQE 2674
Publicado em 15/10/2018 - Atualizado 08/02/2019


O câncer de mama é o tipo de câncer mais comum entre as mulheres, de acordo com dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA). Principalmente após os 35 anos, as chances de incidência do câncer de mama aumentam consideravelmente, sendo acrescida progressivamente próximo aos 50 anos.

A prevenção do câncer de mama deve ser realizada a fim de evitar a doença e combatê-la já no seu estágio inicial, aumentando as chances de cura. Saiba como se prevenir com dicas que você pode aplicar no seu dia a dia.

Câncer de mama: o que devo saber sobre isso?

O câncer de mama é decorrente de um tumor, formado pela multiplicação desordenada e acelerada de células do tecido mamário. A mama é composta por tecido glandular e gordura e ao tocá-la, é fácil notar algumas regiões macias, compostas de gordura e outras mais firmes, na qual se encontra o tecido glandular, o mesmo que auxilia na produção do leite.

 

Assim sendo, é importante orientar que o câncer de mama é consequência de um tumor maligno, que geralmente se inicia nas células do epitélio que reveste a camada mais profunda do ducto mamário. Embora seja mais raro, é possível que também seja originado no tecido fibroso da mama ou mesmo no tecido adiposo.

Existem diversos tipos de câncer de mama, sendo que alguns evoluem rapidamente, enquanto outros são mais lentos. De qualquer maneira, a maioria dos casos costuma ter um bom prognóstico.

Quais atitudes me ajudam na prevenção do câncer de mama?

Uma maneira muito efetiva de se prevenir do câncer de mama é controlando os seus fatores de risco e estimulando outros fatores protetores. Por isso, algumas atitudes podem ser fundamentais para diminuir as chances de desenvolver o câncer de mama:

Estilo de vida saudável

De acordo com o INCA, levar uma vida mais saudável, permeada pela prática de atividades físicas e alimentação balanceada podem diminuir em até 28% do risco de desenvolver o câncer de mama. Além do controle do sobrepeso e da obesidade, evitar o consumo de bebidas alcoólicas também é fundamental.

Amamentação

O ato de amamentar também indica um fator protetor para o desenvolvimento do câncer de mama. Embora não tenha uma razão conhecida, estudos demonstram que a amamentação está relacionada à redução de ciclos menstruais da mulher, já que quando ela está amamentando, não menstrua.

Cuidado com a reposição hormonal

Quando houver necessidade de realizar a terapia de reposição hormonal (TRH), essa deve ser feita sob um rigoroso controle médico. Aĺém disso, é importante que a TRH não se estenda por muito tempo, já que pode aumentar os riscos para o câncer de mama.

Mas, mesmo mantendo todos os cuidados, é necessário se manter atenta aos exames diagnósticos periódicos.

Quando realizar o autoexame das mamas?

É fundamental que as mulheres olhem e apalpem suas mamas em frente ao espelho, sempre que puderem.

Pelo menos uma vez ao mês é indicado realizar o autoexame, caso não hajam fatores de riscos predispostos. Dessa maneira, o melhor momento para apalpar as mamas é uma semana posterior a menstruação ou algum dia aleatório do mês, para casos em que a mulher não menstrua.

O que deve ser considerado um sinal de alerta na aparência das mamas?

Algumas alterações na mama podem estar apontando sinais do câncer de mama. Esteja atenta e procure ajuda, caso alguma dessas características seja familiar:

  • pele endurecida e vermelhidão;
  • áreas estufadas (abaulamento) e covinha (retração);
  • feridas de difícil cicatrização;
  • coceiras constantes;
  • mesmo sem apertar, o bico do peito expele um líquido de cor vermelha ou transparente como a água;
  • presença de caroço;
  • determinado local da mama endurecido.

Se você notou algum desses sinais o indicado é realizar uma mamografia.

Quando devo fazer a mamografia?

Para prevenir o câncer de mama, é importante realizar a mamografia regularmente, a partir dos 40 anos. Caso a mulher já tenha histórico de câncer de mama ou câncer de ovário na família, a mamografia deverá ser realizada precocemente. A consulta com um mastologista será de fundamental importância para a orientação correta para cada paciente.

A mamografia é capaz de identificar o câncer ainda no início, o que melhora a eficiência do tratamento. A ultrassonografia também possui eficiência no diagnóstico, dependendo de cada caso.

Caso você tenha sido diagnosticada com câncer de mama, saiba que é possível tratá-lo e voltar a ter uma vida normal. Para casos de mastectomia, quando há a retirada de parte da mama, é possível reconstruir a mama, tendo resultados bastante positivos.

Esse artigo foi útil para você? Compartilhe em suas redes e com seus amigos para que mais pessoas possam se precaver desse tipo de câncer. Entre em contato com a nossa equipe, em caso de dúvidas.

Material escrito por:
Cirurgião Plástico - CRM/SC 8130 RQE 2674

Formado em medicina pela UFSC e mestre em Cirurgia Plástica pela USP, o Dr. Evandro Parente dedica sua carreira para aliar o relacionamento de confiança com seus pacientes e a qualidade nos resultados. É membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, da qual foi presidente na regional Santa Catarina.

Falar pelo WhatsApp