Blog

Por que fazer drenagem linfática depois da cirurgia plástica?

Por que fazer drenagem linfática depois da cirurgia plástica?

Por: - Cirurgião Plástico - CRM/SC 8130 RQE 2674
Publicado em 20/12/2016 - Atualizado 08/02/2019


Quem costuma pesquisar sobre cirurgias plásticas já deve ter notado que várias delas têm a drenagem linfática como recomendação no pós-operatório. Qual é o motivo? Por que fazer drenagem linfática depois da cirurgia plástica? Quais são os benefícios dessa massagem, que atua diretamente em nosso sistema linfático?

Em primeiro lugar, é preciso entender como se caracteriza esse sistema, diretamente ligado ao sistema vascular. Seus vasos, extremamente frágeis, auxiliam na remoção do excesso de líquido, moléculas de proteínas e resíduos que resultam principalmente do metabolismo celular. Qualquer alteração negativa no funcionamento circulatório normal do organismo pode caracterizar uma disfunção e exigir a utilização de um sistema de drenagem externo (nesse caso, a drenagem linfática manual).

Razões importantes por que fazer drenagem linfática depois da cirurgia plástica

Após uma cirurgia plástica, é preciso atentar para alguns cuidados a fim de obter os resultados desejados e não comprometer a saúde. É aí que entre a resposta para a pergunta “por que fazer drenagem linfática depois da cirurgia plástica?”.

Um procedimento cirúrgico geralmente ocasiona o acúmulo de líquidos entre tecidos em uma quantidade maior do que o corpo consegue drenar, fator causador dos inchaços. Por isso a drenagem é necessária: para reduzir a retenção hídrica, melhorar a circulação sanguínea e, consequentemente, aliviar as dores. A massagem também auxilia na remoção de hematomas, na redução de fibrose, acelera o processo de cicatrização e recuperação e aumenta a hidratação e nutrição celular.

Na drenagem linfática manual, o líquido que está no espaço entre tecidos é levado para o centro de drenagem do organismo por meio de manobras manuais específicas, com pressão externa e velocidade adequada.

Depois de quais cirurgias plásticas devo fazer drenagem linfática?

A drenagem linfática é indispensável após a realização de lipoaspiração e abdominoplastia, pois as células e placas podem ficar paradas na região abdominal, causando inchaço e deformidade. Entretanto, também é indicada em casos de mamoplastia, hidrolipoaspiração, blefaroplastiaritidoplastia, mastectomia total ou parcial e cirurgias que implantam prótese de silicone.

O início da drenagem pode acontecer entre 48 e 72 horas após a cirurgia plástica, com o objetivo de minimizar o inchaço e auxiliar na revascularização, mas cabe ao cirurgião plástico definir quanto tempo a pessoa deve esperar para iniciar as sessões. O tempo de espera pode variar de acordo com o procedimento (em casos de lipoaspiração, por exemplo, deve-se iniciar o quanto antes).

Cada área do corpo que for submetida à cirurgia terá uma abordagem específica. Após a fase de cicatrização (cerca de 40 dias), caso o inchaço e os hematomas tenham desaparecido totalmente, a paciente pode ser liberada da drenagem linfática mediante prévia avaliação e respeitando as restrições. A quantidade de sessões pode variar de acordo com cada paciente, mas, geralmente, o mínimo são dez.

É muito importante que o profissional escolhido para aplicar a massagem seja capacitado, a fim de auxiliar, e não prejudicar, a recuperação da cirurgia plástica. A drenagem linfática deve ser realizada no corpo todo para estimular a circulação linfática de forma generalizada. Na área operada, o trabalho deve ser mais detalhado e direcionado, com movimentos suaves e delicados, e com velocidade ideal, com o intuito de diminuir o processo inflamatório.

Material escrito por:
Cirurgião Plástico - CRM/SC 8130 RQE 2674

Formado em medicina pela UFSC e mestre em Cirurgia Plástica pela USP, o Dr. Evandro Parente dedica sua carreira para aliar o relacionamento de confiança com seus pacientes e a qualidade nos resultados. É membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, da qual foi presidente na regional Santa Catarina.