Blog

Procedimentos minimamente invasivos ajudam a diminuir as rugas

Procedimentos minimamente invasivos ajudam a diminuir as rugas

Por: - Cirurgião Plástico - CRM/SC 8130 RQE 2674
Publicado em 16/01/2017 - Atualizado 08/02/2019


Manter a pele sempre jovem é uma preocupação que ocorre a homens e mulheres em diferentes fases da vida e, também, por diferentes motivações. Mesmo as pessoas adeptas de uma rotina diária de cuidados, como hidratação, esfoliação e proteção, não estão imunes aos efeitos do tempo e, eventualmente, se encontram perguntando o que fazer para diminuir as rugas. Ninguém está livre. Os sinais aparecem, mais cedo ou mais tarde, não importa o quanto a pele seja preservada.

“Isso acontece porque a pele, ao envelhecer, não possui mais o mesmo poder de elasticidade e renovação típicos da juventude. Aos poucos, ela vai perdendo o colágeno, que é o principal responsável pela firmeza dos tecidos”, explica o cirurgião plástico Evandro Parente (CRM/SC 8130 | RQE 2674).

Alguns fatores externos também podem acelerar o aparecimento das rugas e elas não aparecem normalmente sozinhas. Considerando um paciente que não utiliza nenhum creme protetor solar ou algum tratamento cosmiátrico, ele irá apresentar lesões de pele com o passar do tempo. Algumas delas se transformam nas chamadas ceratoses solares, que são lesões de pele “pré-malignas” e que, finalmente, acabam se transformando em malignas.

O sol e os demais fatores vão causando, com o tempo, rupturas nas fibras mais profundas da pele, especialmente do colágeno. Com o processo do envelhecimento, ainda se soma o fato de que diminui-se a formação do colágeno. Além disso, há alterações vasculares, como aumento de vasos capilares, principalmente na pessoa com a pele clara.

Outros fatores de risco para o aparecimento de rugas, são:

  • tabagismo;
  • beber pouca água;
  • excesso de exposição solar;
  • consumo de açúcares e gordura;
  • sedentarismo;
  • dispensar o hidratante.

Diminuir as rugas com procedimentos minimamente invasivos é mais rápido, mais fácil e mais barato

Os procedimentos minimamente invasivos surgem, então, como soluções para retardar e amenizar as marcas do tempo. Tratamentos como peelings químicos, a laser e toxina botulínica encontram cada vez mais espaço nos consultórios e entre as pessoas que buscam diminuir as rugas e outros sinais do envelhecimento.

De acordo com Parente, a busca elevada por procedimentos desse tipo se deve a alguns fatores. “Para começar, os resultados são rápidos e bastante satisfatórios. Os riscos são muito mais baixos se comparados às cirurgias e o melhor é que a paciente pode voltar imediatamente para as atividades cotidianas depois do procedimento, não há período de internação ou repouso”, explica. Geralmente realizados para o rejuvenescimento facial, flacidez e tratamento de manchas, os tratamentos podem ser suficientes para atingir o resultado desejado, pelo menos temporariamente.

Em linhas gerais, de acordo com Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), procedimentos minimamente invasivos são aqueles em que não é necessário realizar cortes ou grandes cortes. Dispensam o período de internação e têm poucas chances de resultar em complicações.

Outras vantagens são causar o mínimo de dor e possuir um custo bem menor do que o das cirurgias. “Apesar disso, é importante lembrar que os efeitos de muitos procedimentos minimamente invasivos têm duração de curto a médio prazo, e nenhum deles é definitivo”, alerta o cirurgião plástico. Após um período, é preciso repeti-los para manter os bons resultados.

Na opinião de Parente, os procedimentos minimamente invasivos vêm mudando a maneira de ver a cirurgia plástica, por serem uma boa alternativa às cirurgias convencionais e promoverem resultados semelhantes em um curto espaço de tempo.

No entanto, é preciso tomar alguns cuidados para garantir a eficácia e a segurança dos tratamentos. Apenas cirurgiões plásticos e dermatologistas estão aptos a realizá-los. “É melhor não se deixar levar por promoções e ‘pacotes’ porque existe um perigo muito grande de estar trocando qualidade por preço baixo. É claro que o fator econômico é importante e deve ser levado em consideração pelos pacientes, mas é preciso ter cuidado”, orienta Parente.

Procedimentos minimamente invasivos para diminuir as rugas

Peeling químico

Pele rejuvenescida, rugas atenuadas, manchas e cicatrizes suavizadas, flacidez  controlada e poros fechados são alguns dos resultados que podem ser obtidos com o peeling químico. O procedimento é realizado por meio da aplicação de soluções químicas na pele, com as substâncias fenol, ácido tricloroacético e ácidos alfa-hidróxidos, para melhorar a textura, removendo as camadas exteriores mais danificadas.

O procedimento provoca a descamação progressiva da pele na intensidade que o paciente precisa. Ao produzir a renovação celular, o organismo potencializa a produção de colágeno e elastina, garantindo uma pele mais firme e homogênea.

Dermoinfusão

A dermoinfusão é indicada para recuperar a superfície da pele, renovar as células, amenizar as rugas finas, reduzir os poros dilatados, controlar a oleosidade, estimular a produção de colágeno, hidratar e clarear as manchas. Caracteriza-se como um peeling suave, que garante a penetração profunda dos ativos, retirando somente a camada superficial da pele.

Toxina botulínica

Feita em torno de 30 minutos no consultório, a aplicação da toxina botulínica é indicada para prevenir as marcas de expressão ou amenizar as existentes, principalmente na testa, na região entre as sobrancelhas e os famosos “pés de galinha”.

É uma técnica que neutraliza as rugas dinâmicas, aquelas decorrentes da contração muscular, pois promove a paralisação da musculatura. Seu efeito pode durar entre três e seis meses. No dia do procedimento, não se pode deitar nas quatro horas subsequentes ou realizar atividade física na qual o paciente possa sentir dor de cabeça.

Preenchimento com ácido hialurônico

Com durabilidade de cerca de um ano, o preenchimento cutâneo com ácido hialurônico é realizado de 30 minutos a uma hora no consultório, sendo indicado para a correção de rugas estáticas, ou seja, aquelas que podem ser vistas mesmo com o rosto em repouso.

Entre as áreas a serem tratadas estão as olheiras, o “bigode chinês” e os lábios. O paciente pode retomar as atividades imediatamente, apesar de existir a possibilidade de se formar um leve edema ou hematoma. É indicado para pacientes que já apresentam queda das bochechas, mas ainda não são candidatos a um lifting facial ou não querem se submeter à cirurgia.

Radiofrequência facial

A radiofrequência facial é um dos tratamentos mais indicados para evitar a flacidez do rosto. Ela age exatamente na reposição do colágeno e da elastina, dois componentes responsáveis pela firmeza da pele.

Sua eficácia é baseada na emissão de ondas eletromagnéticas, que promovem o aquecimento superficial e profundo da pele, causando um estímulo da produção de fibras colágenas e elásticas, aumentando a circulação sanguínea.

Material escrito por:
Cirurgião Plástico - CRM/SC 8130 RQE 2674

Formado em medicina pela UFSC e mestre em Cirurgia Plástica pela USP, o Dr. Evandro Parente dedica sua carreira para aliar o relacionamento de confiança com seus pacientes e a qualidade nos resultados. É membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, da qual foi presidente na regional Santa Catarina.