Blog

Reconstrução de mama: o que é e informações de segurança

Reconstrução de mama: o que é e informações de segurança

Por: - Cirurgião Plástico - CRM/SC 8130 RQE 2674
Publicado em 06/09/2016 - Atualizado 08/02/2019


Toda mulher que trata um câncer e precisa retirar a mama para remover o tumor ou sofre algum outro dano na área dos seios, tem a opção de realizar uma cirurgia para reconstrução de mama. O procedimento restaura a aparência da região danificada pela mastectomia ou outra condição.

Quando é necessária a retirada de toda a mama, na maioria dos casos a reconstrução mamária pode ser feita na mesma cirurgia. Mas essa é uma decisão que o cirurgião plástico, o mastologista e/ou oncologista, e a paciente definem juntos, após avaliação do caso.

Nos procedimentos cirúrgicos de tratamento do câncer de mama e restauração mamária, depois de remover o tumor, é feito o remodelamento da mama e, quando necessário, a correção da mama oposta para deixá-las simétricas, inclusive com a colocação de outra prótese de silicone. Alguns especialistas veem o ajuste da outra mama como uma oportunidade de examiná-la para verificar a existência de possíveis tumores que não foram detectados nos exames de imagem (mamografia e ultrassom) e no exame clínico.

Como é feita a reconstrução de mama

Há mais de uma técnica possível para o cirurgião plástico restabelecer a mama. O especialista analisa qual método é o ideal, de acordo com o histórico da paciente e as expectativas que detém em relação à cirurgia.

A maior parte das cirurgias para reconstrução da mama são feitas com próteses de silicone. A colocação dos implantes pode ou não ser associada às outras técnicas, como a utilização de tecidos da própria paciente, que é retirado da região abdominal ou do dorso.

Outra possibilidade é a preservação da aréola e do mamilo, nos casos de extração total da mama. Este é um avanço do procedimento cirúrgico que age na prevenção do trauma que pode ser gerado na mulher pela perda total da mama. Nas situações em que é inviável manter a aréola e o mamilo naturais, há como reconstruir essas partes posteriormente, depois da verificação da simetria final.

A prótese de silicone é segura?

As próteses de silicone utilizadas atualmente nas cirurgias plásticas possuem um invólucro externo de silicone e são preenchidas com silicone gel. Ou seja, em caso de ruptura do implante, o líquido não escorre para o organismo. Mesmo assim, a chance de a prótese romper é mínima.

Outra preocupação muito comum é quanto a possibilidade de o implante mamário estar relacionado ao surgimento de um novo câncer. Esse risco não existe. Mesmo assim, a paciente deve seguir com as medidas de prevenção e seguir todas as orientações médicas para evitar o desenvolvimento de um novo tumor.

O que pode acontecer é o organismo ter uma reação à prótese chamada de contratura capsular. É a formação de uma espécie de cicatriz interna em volta do implante que representa uma complicação quando é muito espessa. Mas isso só ocorre em 10% dos casos.

Periodicamente a mulher com implantes mamários deve realizar consultas para controle das próteses de silicone. Após cerca de 10 anos, os implantes devem ser trocados por questão de segurança.

Todas essas informações o cirurgião plástico esclarece à paciente nas consultas que antecedem a cirurgia. É também com base nelas que o médico e a paciente resolvem sobre o momento adequado e o método ideal para reconstrução da mama. Cada um tem vantagens e desvantagens. Até a paciente estar segura quanto ao procedimento cirúrgico, a reconstrução deve ser adiada, sem interrupção do tratamento oncológico, caso ainda o realize. Em determinadas situações, é recomendado à mulher fazer a cirurgia somente depois de concluí-lo, principalmente quando é preciso se submeter à radioterapia após a remoção do tumor. Isso pode fazer com que leve mais tempo para a reconstrução da mama ocorrer, mas também pode trazer maiores benefícios à saúde da mulher.

Material escrito por:
Cirurgião Plástico - CRM/SC 8130 RQE 2674

Formado em medicina pela UFSC e mestre em Cirurgia Plástica pela USP, o Dr. Evandro Parente dedica sua carreira para aliar o relacionamento de confiança com seus pacientes e a qualidade nos resultados. É membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, da qual foi presidente na regional Santa Catarina.

Falar pelo WhatsApp