Blog

Troca da prótese de silicone nas mamas

Troca da prótese de silicone nas mamas

Por: - Cirurgião Plástico - CRM/SC 8130 RQE 2674
Publicado em 18/05/2017 - Atualizado 08/02/2019


Apesar de todos os avanços na Medicina e do uso de materiais cada vez mais modernos, ainda não existem implantes de silicone que durem para sempre. No entanto, não há, tampouco, um limite de tempo pré-determinado para substituí-los. Às vezes, a troca da prótese de silicone pode ser realizada pelo vencimento de seu prazo de validade, mas, em outras situações, a mudança pode acontecer devido a um rompimento ou descolamento do produto. Em alguns casos, por outro lado, pode ser que nunca seja necessário trocá-la.

A média de duração de uma prótese de silicone, atualmente, varia entre 15 e 20 anos. As que são feitas de gel coesivo, mais modernas e fabricadas a partir dos anos 2000, são muito mais seguras que suas antecedentes e não exigem substituição tão precoce. Já as mais antigas precisam ser trocadas antes disso, em cerca de oito a 12 anos.

Por isso, o acompanhamento com o cirurgião plástico após a mamoplastia de aumento é importante, para que ele indique a periodicidade da manutenção e o melhor momento para realizar a troca da prótese de silicone, dependendo de cada caso.

Uma revisão a cada dez anos (ou com a frequência determinada pelo médico) também é recomendada. A revisão de prótese mamária consiste na realização de uma ressonância magnética e de exames de sangue para verificar a existência de infecção e o estado dos implantes.

Por que realizar a troca da prótese de silicone

A recomendação médica é de que a troca da prótese de silicone nas mamas seja efetuada sempre que o produto representar danos à saúde física ou emocional da mulher. Isso significa que a substituição pode ocorrer quando:

  • houver a formação de rugas e pregas na pele ou o endurecimento da cápsula do implante, complicação chamada de contratura capsular (que, geralmente, ocorre em casos de colocação de próteses grandes em mulheres com pele muito fina e pouco tecido adiposo para sustentação);
  • houver ruptura ou perfuração do implante devido a algum impacto ou trauma, como acidentes automobilísticos, ferimentos e acidentes com esportes radicais;
  • houver perda ou ganho acentuado de peso e a prótese ficar mal localizada devido ao aumento da flacidez na região. Nesse caso, o procedimento de troca pode ser associado a um lifting de mama.

Adiar a cirurgia de troca da prótese de silicone, quando a substituição for necessária, pode causar complicações como assimetria e endurecimento das mamas, dor, infecção, inflamação e outros efeitos ocasionados por implantes desgastados.

A cirurgia plástica para substituir a prótese, geralmente, é mais simples que o procedimento de colocação, mas deve ser, sempre, realizada em centros cirúrgicos devidamente equipados e autorizados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A troca da prótese de silicone pode ser feita pelo mesmo cirurgião plástico que realizou a primeira cirurgia, apesar de isso não ser obrigatório. A paciente pode escolher outro cirurgião para colocar novos implantes, contanto que o profissional seja membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).

Material escrito por:
Cirurgião Plástico - CRM/SC 8130 RQE 2674

Formado em medicina pela UFSC e mestre em Cirurgia Plástica pela USP, o Dr. Evandro Parente dedica sua carreira para aliar o relacionamento de confiança com seus pacientes e a qualidade nos resultados. É membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, da qual foi presidente na regional Santa Catarina.